10 de ago de 2008

Um dos meus grandes, ou talvez... pequenos sonhos!


Uma casa... uma simples casa no campo, nem tão grande, nem tão pequena, nem tão iluminada, nem tão sombria, nem tão quente, nem tão fria, enfim, uma casa confortavelmente ideal, sem luxo, sem muita frescura, afinal, isso não faz o meu tipo!

Uma casa em contato diretamente com a natureza, onde haja muito silêncio quando eu precisar, onde haja vários sons, quando assim eu desejar, com a paz de espírito que só um lugar como esse tem, com um imenso gramado baixo e bem verdinho, com uma lareira me convidando pra tomar um chocolate quente nos dias frios, com muitos coqueiros em volta, se balançando ao vento de uma pré-tempestade, dormir com o barulho da chuva, e acordar ouvindo somente o som da natureza, com aquele nascer do sol insubstituível, surgindo de trás das árvores, e subindo até o céu azul.

Uma casa com um lago enorme, pois eu quero poder me fascinar todos os dias com os patos que haverão lá! Um piano, ahhhhhhh, eu sou apaixonada, na minha casa vai ter um piano, até lá eu já saberei tocar. Com uma varanda, onde eu possa ter uma rede, pra passar todos os fins de tarde. Onde eu possa receber todos aqueles que fazem bem, e que se sentem bem em minha companhia, onde possamos festejar, pois a vida é bela (mesmo complexa) e relembrar dos velhos tempos. Uma casa em que eu tenha meu próprio estúdio e tudo que me faça bem, com o intuito de que eu pouco me ausente deste lugar tão perfeito...

Uma casa tão ideal, que vai ser todo o meu ideal de vida, é isso que eu gosto, e é só isso que eu desejo pra mim, a simplicidade da vida!

;*

2 comentários:

Tânia disse...

Partilho desses seus sonhos... Como adoraria levar uma vida calma, num lugarzinho bem agradável, cheio de paz e com uma bela paisagem pra admirar. E o piano, então? Ah, é meu instrumento favorito, pena que não saiba tocar. Mas é como você mesma disse, dá pra aprender. E, sem dúvida alguma, todos esses sonhos são bastante possíveis de realizar também. Você ainda chega lá. Já eu... Bem, espero conseguir chegar também, nem que seja pra ser a pianista mais velhinha do mundo! kkkkkkkk!!!!

Beijoca!

Oliveira, G. disse...

Pois é, o piano é minha fascinação também, é calmo e ao mesmo tempo marcante. Claro que consegue tia, a vontade de aprender é maior que qualquer coisa, que quando tivermos a oportunidade seremos alunas dedicadas, e futuras ótimas pianistas!